Archive for the 'Acredita?' Category

Quando eu tinha 13 anos, meu cabelo era igual ao do Garbo, SEGURA ESSA.

Levando em conta que meu último post aqui foi dia 28 de Julho, acho válido um resumo breve das coisas relevantes que habitam minha cabeça nos últimos tempos. Vou escrever em tópicos, porque tópicos são legais.

1. All Time Low no Brasil

Sei que o show é só daqui a 1 mês e 13 dias, mas desde que eu comprei meu ingresso fico sonhando com 19 de Janeiro o tempo inteiro. Gosto de criar diálogos imaginários que eu poderia ter se eu tivesse a chance de conversar com os caras. Sei que nada disso vai rolar. Falar com eles seria quase impossível! E acho que mesmo se eu conseguisse isso um dia, eu ficaria calado, olhando pra barriga do Zack pros caras, sem saber o que dizer. Mais ou menos do jeitinho que eu fiquei quando eu tinha 7 anos e conheci a Eliana, rs.

2. Jonas Brothers no Brasil

Eles já estão entre nós. O show dos Jonas em São Paulo acabou de acabar. Não vou ao show no Rio amanhã porque os ingressos estavam caros pra cacete! Claro que bateu aquela depressãozinha, mas passou rápido dessa vez. Pra falar a verdade, fiquei até feliz quando a @aniielle me ligou do show na hora em que eles começaram a cantar World War III. Eu consegui escutar tudo direitinho (apesar da gritaria) e era como se o Nick estivesse falando “OLHA, A GENTE TEM QUE SE ACALMAR, PORQUE EU NÃO QUERO BRIGAR COM VOCÊ, NENÉM” para mim.

Garbo, corta esse cabelo VLW

Mais fotos dos Jonas no Brasil, AQUI.

3. Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte I

Comprei hoje meu ingresso pra pré-estreia das Relíquias da Morte na madrugada do dia 18 pro dia 19. O grande evento vai ser à meia-noite, e o shopping vai estar cheio de gente esquisita tentando fazer cosplay dos personagens e tudo mais. Na última pré-estreia de HP que eu fui, tinha um cara vestido de Harry, com um VIOLINO na fila do cinema, tocando a trilha sonora do filme e tal. Acho meio freaky, mas respeito as diferenças! Tô cheio de expectativas pro filme, então acho que vale a pena socializar com os esquisitinhos.

Sem mais por enquanto. QUE VIDÃO.

Roupas pretas, vibe dark e uma metáfora sobre caixas.

Eu sei que escrevo pouco aqui, mas na noite passada me bateu uma motivação repentina de voltar a escrever. Foi meio aleatório, mas não deu pra evitar. Então, preparei esse layout novo, que segundo a @aniielle ficou “muito dark” e muito “não-eu”. Mas acho que eu estou mesmo passando por uma fase sombria na minha vida, e talvez o layout do blog seja o reflexo disso.

Claro que eu já tive fases piores, tipo aos 14 anos, quando eu só andava de preto, com correntes penduradas pela calça, e me forçava a ouvir rock pesado, só pra me encaixar no grupinho dos metaleiros da escola.

No fim das contas eu consegui me enturmar. Mas nem foi pelo jeito como eu me vestia, ou pelas músicas que escutava. Pode parecer meio idiota, mas consegui conquistar amigos nessa época sendo eu mesmo. E talvez esse seja o segredo pra se encaixar. Porque amizades são tipo uma caixa. Cada uma tem um tamanho diferente, e nós temos que caber dentro delas com conforto. Se uma caixa dessas não tem espaço suficiente para nós, não temos que mudar pra cabermos ali dentro. Temos que procurar uma caixa que nos aceite do tamanho que nós somos.  Sei que essa é provavelmente a pior metáfora que você já leu em toda a sua vida, mas se uma amizade exige uma mudança, talvez ela não valha a pena.

É só o que penso. Nada demais.

Sofrimento compartilhado

Sinceramente, eu não começaria a ler um texto cujo título fosse “Sofrimento compartilhado”. Isso soa depressivo, irritante e sonolento. Mas é exatamente dessa maneira que as coisas ocorreram hoje.

Um tio muito querido faleceu ontem, e hoje pela manhã, lá estava eu no seu velório. Odeio velórios, de verdade. Mas, como eu disse, perdi um tio querido. E quando existem pessoas queridas envolvidas nós precisamos ceder.

O que me irrita em velórios é essa coisa de choro coletivo. Abraços, palavras de consolo, lágrimas misturadas. Isso me agoniza um pouco. Não quero parecer aqueles com fobia social. Sou até bem sociável. Mas quando se trata dessas coisas, queria poder passar por tudo na minha. Sem expôr minha tristeza de maneira tão óbvia. Sem ficar chorando na frente de desconhecidos. Sem ter que abraçar e ser abraçado.

Queria apenas parar, pensar, e deixar uma música triste tocando na minha mente. E fazer tudo isso em uns 5 minutos, porque pensar demais na morte não faz bem pra ninguém. Mas as coisias não funcionam assim.

Alguém morre, a família se reúne, você encontra parentes que só aparecem quando outros parentes morrem, todo mundo te abraça, e as pessoas deixam lágrimas e baba no ombro do seu casaco. Infelizmente.

Infelizmente.

Marmotas in stereo

Eu estou com milhares de ideias rodando em volta da minha cabeça nesse momento. Queria transformá-las em palavras bonitas e coerentes, mas acho que hoje estou com uma certa deficiência mental pra essas coisas. A noite de ontem foi complicada. Fui com uns amigos comemorar o aniversário de outro amigo, sem nada planejado. O aniversariante estava fazendo 18 anos, mas ele esqueceu a identidade em casa, nos impedindo de fazer qualquer programinha para maiores de idade.

Então fomos jogar Mata Marmota ._.

Imagina um jogo com uma tela grande, e várias bolinhas de plástico. Daí você tem que jogar as bolinhas na tela grande para matar as marmotas que aparecem. Só que, pensa comigo, SÃO MILHARES DE MARMOTAS! E o movimento com o braço é sempre o mesmo. Eu devo ter atirado umas quatrocentas bolinhas na tela grande. Agora estou aqui, com o braço todo dolorido, quase imóvel. E todo o amor que eu tinha pelas marmotas sumiu!

Continue lendo ‘Marmotas in stereo’

DESESPERO

Quem acompanhou minha vida sem graça nos últimos dias está por dentro (?) do que aconteceu. MINHA CONTA NO TWITTER FOI SUSPENSA D:

Vou resumir a história, porque ela não é o foco desse post. Mandei um e-mail de indignação para a equipe do Twitter. Na verdade, a @aniielle mandou pra mim. Porque eu não tinha forças, para elaborar frases inteligentes em inglês. Estava em estado de choque. Sem brimks. Fiz uma outra conta na terça feira (09/02) de manhã, e a galere foi me ajudando a recuperar meus followers. Lá pelas cinco da tarde, minha conta antiga voltou DO NADA, e aquilo me deixou feliz. Eu estava no trabalho, então não dava pra gritar, mas eu juro que fiquei fazendo uns barulhos estranhos com a boca. Fiquei feliz com meu twitter de volta e FIM.

E depois disso, eu comecei a pensar…

Continue lendo ‘DESESPERO’

Sonho ruim

Sabe aqueles sonhos que parecem muito reais? Aqueles que nos deixam dúvidas como “Isso aconteceu mesmo, ou foi só um sonho?”.

Pois é. Tive um sonho desses essa noite. Na verdade, estava mais pra pesadelo, e no meio da noite eu fiquei tão assustado. Eu ouvi umas boas verdades no pesadelo. Verdades das quais venho fugindo há um bom tempo, e quando eu estava QUASE esquecendo, PLOP! Vem um sonho besta e traz tudo de volta!

Vai parecer meio estranho eu dizer isso, mas o Cazuza tem uma música chamada “Quase um Segundo” que diz o seguinte:

Às vezes te odeio por quase um segundo
Depois te amo mais
Teus pêlos, teu rosto, teu gosto, tudo
Tudo que não me deixa em paz
Quais são as cores e as coisas pra te prender?
Eu tive um sonho ruim e acordei chorando
Por isso eu te liguei

Cazuza – Quase um Segundo

Continue lendo ‘Sonho ruim’

Fecha na flor!

Minha mãe sempre diz que eu tenho mais amigos virtuais do que amigos reais. E às vezes acho que ela tem razão. Nunca tive dificuldade em fazer amigos, então “timidez” não é o problema. Acho que tudo é uma questão de compatibilidade. É raro encontrar na minha cidade pessoas que gostem das mesmas músicas que eu, por exemplo. Acho que a juventude da minha cidade é muito favelada. E isso é uma pena.

Não estou desmerecendo meus amigos daqui, porque os amo muito. Mas a questão é: Quando uma amizade virtual começa a se tornal real?

Bem, não vou escrever um texto enorme sobre amizade, porque acho totalmente desnecessário. Aliás, são 8:30 da manhã agora, e ninguém é capaz de escrever textos enormes sobre amizade às 8:30 da manhã. A intenção desse post é mostrar uns vídeos que eu meio que “ganhei de presente” HAHA. No último domingo, alguns desses meus amigos virtuais saíram juntos. Seria um sonho poder estar perto deles, MAAAAS eu morro na roça, rs ): Então essa postagem vai fugir um pouco dos padrões, e eu só vou agradecer por eles terem se lembrado de mim. Porque com esses vídeos eu me senti muito pertinho. Sério.

Continue lendo ‘Fecha na flor!’


Heartbreaker

Vitor Martins, 20, Rio de Janeiro

Gosto de All Time Low, pizza, filmes de final previsível e acho que Cory Monteith é uma das melhores coisas que já inventaram nos últimos tempos. Odeio gente comprometidona, e celebridades escrotas, tipo Taylor Momsen.

Arquivo

Status?

  • 98,846 visitas